Encontre-nos nas redes sociais:

Instagram da IPGO

Use o sistema de busca.

A gravidez após os tratamentos de fertilização assistida

Home » Sem categoria » A gravidez após os tratamentos de fertilização assistida
Agende sua Consulta

Leia na hora certa - Use o leitor QR Code e armazene este assunto para ler diretamente em seu Smartphone

Voltar ao Índice

1) Existem diferenças no acompanhamento pré-natal da grávida de um processo de fertilização e uma grávida de uma gestação natural?

R: A grávida proveniente de um processo de fertilização deve receber cuidados diferenciados nos três primeiros meses. Embora toda gestação seja muito valorizada, o bebê da grávida tratada pelas técnicas de Reprodução Assistida tem geralmente um significado mais especial. Todos os bebês são igualmente importantes, mas o estresse psicológico do tratamento causa mais danos à saúde mental do casal e, por isso, precisam de mais “mimos”.

2) Existe diferença nos cuidados clínicos?

R: A princípio não, mas nas primeiras 12 semanas de gestação a grávida de Fertilização recebe hormônios em quantidades importantes para que se mantenha a gravidez e isso faz diferença.
A gravidez natural normalmente dispensa essa medicação.

3) Após as 12 semanas iniciais existem diferenças?

R: Não. Afastando a ansiedade que pode ser exagerada em decorrência do tratamento, a gravidez será idêntica à gestação natural.
A exceção está nas gestantes com problemas imunológicos, que devem receber medicações específicas até o sétimo mês (heparina, aspirina, corticoide etc).

4) Quais são os cuidados que a grávida deve receber nesse período?

R: São os cuidados com alimentação, controle de peso, infecções, entre outros. A grávida deve ser bem assistida no pré-natal, estar bem orientada quanto a evolução da gestação, as intercorrências e os seus perigos. Deverá ter a sua disposição telefones ou serviços de emergência que poderão atendê-la em caso de necessidade. É importantíssimo que ela se sinta segura e acolhida pelo obstetra ou pela equipe médica que irá atendê-la no momento do parto.

5) Quais são os principais exames que devem ser realizados por uma gestante de Fertilização Assistida?

R: Muitos exames que foram feitos no início da avaliação para o tratamento de Reprodução Assistida não terão necessidade de ser repetidos, a não ser que haja dúvidas. Os principais exames que deverão estar em dia são:

1º Trimestre (fase inicial da gestação):

R: Sangue

• Hemograma completo.
• Glicemia de jejum.
• Sorologia para Rubéola.
• Sorologia para Lues.
• Sorologia para Citomegalovírus.
• Sorologia para Toxoplasmose.
• Tipagem Sanguínea.
• HIV.
• Sorologia para Hepatite B e C.

Urina
• Urina I.

Fezes
• Proctoparasitológico (fezes).

Ultrassom
• Ultrassonografia endovaginal obstétrica.

Medicina Fetal
• NIPT ( a partir da 9ª semana).
• Exame do Vilo Corial ou exame genético (quando indicado).
• Morfológico no 1º Trimestre (TN, Osso Nasal, Ducto Venoso).
*O.S.C.A.R – One Stop Clinic For Assessment Risks (avalia o risco fetal para anomalias genéticas).

2º Trimestre (fase intermediária da gestação):
• Ultrassom Morfológico (analisa a anatomia do bebê em detalhes) – (20ª a 22ª semana).
• Ecocardiograma Fetal (26o semana).
• Teste Triplo (quando indicado) e/ou Amniocentese para avaliação das anomalias fetais.
• Fibronectina Fetal (identifica precocemente a gestante com risco de parto prematuro).

3º Trimestre (fase final da gestação)
• Repetição de alguns exames de sangue.
• Ultrassonografia.
• Avaliação final do bem-estar fetal.
• Monitoragem Fetal – Cardiotocografia Fetal.
• Ultrassom Tridimensional.
• Perfil Biofísico e Dopplervelocimetria (pode ser realizado em gestação de alto risco quando a monitoragem fetal não tiver sido satisfatória).
• Exames de toque (leve e delicado), com o objetivo de avaliar a dilatação do útero e a proximidade do parto.
• Pelvimetria (medidas da bacia).
• Pesquisa do Strepto ßHeolítico na secreção vaginal.
• Outros (depende do caso).

6) Existe diferença quanto ao tipo de parto (cesárea ou normal), quando a gravidez é de Fertilização Assistida?

R: A princípio não. Entretanto, a grávida de Fertilização Assistida é mais ansiosa e a tolerância para a espera de um parto normal é, nesses casos, muito menor. Esse detalhe pode levar a uma maior frequência de parto cesárea.

7) E os bebês têm algum cuidado especial?

R: Não existe nenhuma diferença, desde que a gravidez ocorra sem intercorrências. Os cuidados com o bebê recém-nascido são idênticos aos de uma gravidez natural.

Comments

comments