Encontre-nos nas redes sociais:

Instagram da IPGO
Zika Vírus
Espaço Criança
11 Razões para o médico confiar seus pacientes ao IPGO

Use o sistema de busca.

“O sucesso do tratamento de fertilização assistida não se restringe ao teste de gravidez positivo. Muito mais que isso, é a garantia de que a mãe e o bebê permanecerão saudáveis desde o início dos procedimentos até o nascimento da criança. Afinal, de nada adianta alcançar rapidamente a gravidez única, gemelar ou até mesmo tripla, se o tratamento e a gravidez provocarem complicações que levem ao comprometimento da saúde do bebê e da mãe durante o tratamento a que estiver sendo submetida”
Dr. Arnaldo Schizzi Cambiaghi

Cólica Menstrual (Dismenorreia)

Home » Cólica Menstrual (Dismenorreia)

Dismenorreia é a dor menstrual em cólica que se inicia antes da menstruação e pode acompanhá-la durante todo o período do sangramento.

Grande parte das mulheres jovens sofre deste mal e algumas delas tornam-se, neste período, incapazes de executar tarefas cotidianas. Para algumas delas, a dor é tão forte que as obriga a ficar deitadas no leito, sem possibilidade de trabalhar nem estudar. Isoladamente a cólica menstrual constitui a maior causa de perda de hora-trabalho ou horário escolar entre as mulheres jovens de toda a comunidade.

Tipos de dismenorreia
 
A dismenorreia pode ser de dois tipos: primária ou secundária. Ambas podem ser classificadas como leve, moderada, severa ou muito severa, dependendo do grau de limitação que causa na vida normal da mulher. Quanto mais grave maior a limitação.

PRIMARIA: Também chamada de essencial ou congênita, é a mais comum e surge de 6 a 12 meses após a primeira menstruação, sem qualquer motivo para isso. O organismo nesse caso está totalmente saudável, não existe doença.

Existem várias causas que tentam justificar o porquê desta dor, e a mais aceita é o aumento local de uma substância chamada Prostaglandina que torna a contração uterina mais vigorosa, gerando DOR.

Tratamento: Os tratamentos geralmente baseiam-se em esporte, exercícios, apoio psicológico e podem, inclusive, alcançar medidas drásticas como cirurgias que “desligam os nervos” que estão ligados ao útero. Entretanto, os tratamentos mais freqüentes são aqueles que utilizam drogas inibidoras de prostaglandinas que são os antinflamatórios (Ponstan, Cicladol, AAS, Naproxzym, Feldene e outros), os antiespasmódicos (Buscopam), e os contraceptivos. Ultimamente, em casos especiais têm-se Implantes Hormonais (Implanon, Mirena, veja em contracepção) que impedem o fluxo menstrual (a mulher não menstrua) e conseqüentemente não há dor.

SECUNDÁRIA: É a dismenorréia de inicio mais tardio e decorrente de doenças na região pélvica. As principais causas são: endometriose, miomas, pólipos, aderências, tumores ovarianos e infecções.

O diagnóstico é feito pela história relatada pela paciente, exame clínico, exames laboratoriais, ultrassom e em alguns casos videolaparoscopia (link).

Tratamento: O tratamento específico é dirigido ao processo que originou os sintomas. Se há infecção; antibioticoterapia e antiinflamatório, se for aderência; tumor ou endometriose videolaparoscopia e assim por diante.

Comments

comments