Encontre-nos nas redes sociais:

Instagram da IPGO

Use o sistema de busca.

Histórias de mulheres com poucos óvulos

Home » Histórias de mulheres com poucos óvulos
Agende sua Consulta

Não pense, apenas faça.

Alguns estudos demonstram que esta é a grande saída para quem tem dificuldades em encarar a rotina da pesquisa e dos tratamentos de infertilidade. De um modo geral, pessoas que falam e pensam muito sobre o que pretendem fazer sobre determinado problema são as que menos realizam. Exemplos disto são os obesos que prometem iniciar o regime na próxima segunda-feira, no Ano Novo, depois da Semana Santa, ou no ano que vem. Ou aqueles sedentários que dizem que vão se matricular na academia no próximo mês, repetindo esta promessa que nunca se concretiza. Dessa forma, no assunto fertilidade não se deve pensar tanto sobre os inconvenientes do tratamento e as frustrações dos insucessos.

Ter filhos faz parte da vida do ser humano, e por isto quando eles não vêm naturalmente, devem-se aceitar as condições que ajudam a consegui-los e partir direto para o ataque. Todos aqueles que perseguem este objetivo sabem como é árdua a trajetória de frustrações: cada menstruação é um desgosto só. A angústia aumenta mais a cada mês.
Por isso, uma vez que a vontade de ter filhos já está determinada pelo casal, quanto mais rápido forem tomadas as atitudes, mais imediato será o alívio e em menos tempo problema estará resolvido. Samantha, de 28 anos na época, é a dona dessa história e veio na primeira consulta trazendo vários exames. Entre todos que apresentou, o único que demonstrou anormalidades foi a histerossalpingografia. Suas trompas estavam com alterações que indicavam uma intervenção cirúrgica para sua recuperação: a videolaparoscopia. Caso contrário, estaria indicada a Fertilização In Vitro. Após analisar seus exames, Samantha ouviu minhas explicações e sem exitar definiu que preferia essa última possibilidade. Justificou que alguns anos antes tinha sido submetida a uma intervenção cirúrgica que a obrigou a ficar internada por algumas semanas. Não pensava passar por isso novamente. Concordei com o seu raciocínio e instintivamente perguntei quando tinha sido a sua última menstruação. Era o terceiro dia do ciclo, o dia ideal para o início da indução da ovulação. Como os exames obrigatórios para este procedimento estavam em dia, disse que poderia iniciar o tratamento imediatamente, após a confirmação das condições dos seus ovários vistos através do exame de ultrassom, que poderia ser feito naquele momento. Prontamente concordou. O exame foi realizado, a indução de ovulação iniciada, e em 23 dias ela já estava com o resultado positivo em suas mãos: GRÁVIDA! Esta história mostra, além da determinação do casal, a importância de individualizar o tratamento para o perfil de cada paciente. É comum existir mais de uma opção de tratamento para um resultado positivo. Neste caso, tanto a videolaparoscopia como a Fertilização In Vitro estavam corretamente indicadas, entretanto as histórias clínica e psicológica da paciente e seu marido determinaram o tratamento realizado.
É importante que o casal saiba que ao optar por determinado tratamento deve conhecer as chances de resultados positivos, o grau de complexidade do procedimento, os riscos, os custos, etc.

“A mulher mais rápida do Brasil”

Samantha e Adilson

Quando eu era jovem, pensava em ter filhos, mas o desejo de ser mãe apareceu após meu casamento, quando eu já tinha me tornado uma mulher. Jamais pensei que poderia ter algum problema relacionado à infertilidade.
Meu marido sempre sonhou em ser pai, e com apenas um ano de casados demos início às tentativas para minha primeira gravidez.
Alguns meses se passaram, mas nada aconteceu. Inicialmente achava que o problema estava no meu marido, mas após realizar vários exames descobrimos que tanto eu como ele não apresentávamos nenhuma dificuldade para ter filhos.
As tentativas continuavam e eu comecei a buscar uma causa para algo que eu ainda nem sabia o que era. Como havia engordado bruscamente após o casamento, passei a pensar que a minha obesidade era que estava impedindo uma possível gravidez.
Então realizei uma cirurgia para redução do estômago, e após um ano, mesmo com 36 kg a menos, o meu desejo de ser mãe não se realizou. Diante dessas circunstâncias, minha ginecologista pediu que eu realizasse uma histerossalpingografia, para que meu quadro fosse analisado de forma mais profunda.
Eu e meu marido ficamos chocados quando nos deram a notícia de que o exame havia detectado que minhas trompas eram impermeáveis. Foi muito difícil para mim enfrentar a idéia de que eu era incapaz de gerar um filho.
O sentimento foi de frustração e muita tristeza, pois eu não poderia realizar o grande sonho do meu marido, que sempre quis ser pai. Cheguei até a pensar que ele pudesse me largar por conta disso, mas ele sempre esteve ao meu lado, me dando apoio e muita força.
Minha médica logo nos orientou a procurar um especialista em reprodução humana e nos encaminhou para a clínica IPGO.
Eu e meu marido ficamos mais aliviados por saber que existia ainda uma chance. Passamos a encarar toda a situação apenas como um obstáculo que tínhamos que vencer para chegar à maternidade. Antes de entrar em contato com a clínica, visitei o site da mesma e li todas as informações sobre o problema e os tratamentos.
Já estávamos decididos a realizar uma Fertilização In Vitro. Após agendarmos um horário, nos dirigimos para a primeira consulta, com todos os exames que havíamos realizado anteriormente.
Ouvimos todas as explicações do Dr.Arnaldo quanto ao tratamento, e quando já tínhamos tirado todas as dúvidas, respiramos fundo e dissemos a ele que iniciaríamos a nossa primeira tentativa imediatamente.
Meu marido sentiu muita confiança naquele profissional que parecia saber muito bem o que estava fazendo.
Muito surpreso com a nossa determinação, o doutor logo nos orientou quanto a todos os procedimentos que deveriam ser realizados e cumpridos a partir daquele momento. A tentativa para a realização do nosso sonho começava ali e meu marido já se sentia “pai”. Seguíamos todas as instruções rigorosamente e com muita disciplina.
Cada dia parecia uma eternidade! Chegado o dia da transferência, estávamos muito confiantes de que tudo daria certo. Após a realização do procedimento, eu e meu marido não nos agüentávamos de tanta alegria e ansiedade por saber do resultado que só sairia em 12 dias.Os dias foram longos e pareciam nunca passar, mas tentávamos segurar a ansiedade que parecia nos consumir. Chegado o grande dia, realizei o exame bem cedinho e não saí da frente do computador, aguardando a chegada do resultado.
As horas demoravam a passar e eu não conseguia controlar aquela mistura de emoções que enchia meu coração.
Finalmente, após longas horas de espera, o resultado saiu: eu estava grávida! Me senti a mulher mais feliz e realizada do mundo. Chorei muito e imediatamente liguei para meu marido, que ficou tão emocionado quanto eu.
Ele estava no trabalho e sentiu vontade de sair gritando para todo mundo que era papai! A emoção que sentimos nesse momento foi muito grande e até difícil de exprimir em palavras.
Liguei para a clínica a fim de confirmar o resultado, e após passar os dados do exame para a equipe, a ligação foi transferida para o Dr.Arnaldo, que surpreso e muito feliz me parabenizou pela vitória. Ele disse que eu era a mulher mais rápida do Brasil! Apesar do desgaste psicológico causado pelo medo de não dar certo, foi a melhor coisa que já fiz na vida.
Eu e meu marido somos gratos a Deus por termos sido abençoados com o nosso bebê na primeira tentativa.
Minha gravidez foi maravilhosa e eu não via a hora da minha barriga crescer, pois queria que todo mundo soubesse que eu estava grávida.
Você quer mostrar para as pessoas que também é capaz. Quando nosso filhinho nasceu, sentimos uma felicidade enorme e temos a certeza que esta emoção será eterna, pois até ficamos muito emocionados quando olhamos para o nosso menininho. Se fosse necessário, com certeza eu faria tudo de novo, pois o resultado compensa todas as dificuldades que você enfrenta durante o tratamento.
“É importante que haja amor e confiança entre o casal e o médico, assim como a direção de Deus durante todo o percurso. Lute e acredite na realização do seu sonho e jamais tenha vergonha do seu problema. Saiba que Deus nos dá apenas o que podemos suportar! Enfrente o obstáculo e vença-o. Você consegue!”

Observação

Após finalizar este capítulo, Samantha deixou de ser “a mulher mais rápida do Brasil”. Luciana – uma outra paciente – numa situação aflita, pois queria ficar grávida antes de mudar-se para os Estados Unidos, começou a indução da ovulação no quinto dia do ciclo, dois dias após o terceiro, como Samantha. Ficou grávida num tempo menor. Iniciar a indução da ovulação no quinto dia é uma alternativa possível e em casos especiais.

Comments

comments