Encontre-nos nas redes sociais:

Instagram da IPGO
Zika Vírus
Espaço Criança
11 Razões para o médico confiar seus pacientes ao IPGO

Use o sistema de busca.

Tratamento de Reprodução Humana em Mulheres Orientais

13 de julho de 2011
Home » Fique Sabendo » Tratamento de Reprodução Humana em Mulheres Orientais

Leia na hora certa - Use o leitor QR Code e armazene este assunto para ler diretamente em seu Smartphone

 

O Centro de Reprodução Humana do Instituto Paulista de Ginecologia Obstetrícia – IPGO:
Coordenado pelo especialista Dr. Arnaldo Schizzi Cambiaghi realiza tratamento especializado de infertilidade conjugal.

Atualmente esta oferecendo tratamentos diferenciados de fertilização In Vitro para mulheres orientais, com menos de 35 anos que estejam dispostas à doar parte dos óvulos coletados no tratamento.

Outras informações: mariana@ipgo.com.br

 

Mulheres podem engravidar até os 55 anos

 
Mulheres de origem japonesa encontram ainda mais dificuldades quando precisam do auxílio de óvulos doados

Já foi comprovado que cerca de 15% da população mundial tem dificuldade para engravidar e em alguns casos o problema está nos ovários que não produzem mais óvulos ou se produzem são de má qualidade. No entanto essas células não estão disponíveis em bancos com a mesma facilidade como os espermatozoides (bancos de sêmen). Quando isto ocorre, a gravidez só acontecerá com a técnica de fertilização “in vitro” (FIV) e com óvulos doados. No entanto, estas células são raras e para isso é necessária a generosidade de mulheres sensíveis a este problema que estejam dispostas a ajudar doando os óvulos excedentes que não forem utilizados no seu tratamento.

Para o especialista em infertilidade Arnaldo Cambiaghi, este programa, conhecido como ovodoação, beneficia dois casais simultaneamente: aquele cuja mulher não tem óvulos viáveis para engravidar e o outro que poderá doar, já que este é um processo em que duas FIV são realizadas consecutivamente. O tratamento envolve questões éticas, portanto é essencial o acompanhamento médico e psicológico.

A maior dificuldade é encontrar doadoras de origem japonesa. “As doadoras geralmente precisam ter menos de 35 anos, saudáveis, sem antecedentes familiares, genéticos ou pessoais de doenças, e com características físicas (altura, peso, cor do cabelo, olhos, tipagem sanguínea) semelhantes às da pessoa que vai receber o embrião”, esclarece o médico. Assim, estas mulheres, principalmente japonesas, poderão ter seus filhos. Tanto as que recebem os óvulos como as que doam.

Essas mulheres que possuem os requisitos para serem doadoras são informadas antes do início do tratamento sobre a possibilidade de doar óvulos.

Interessadas no Programa de Ovodoação podem entrar em contato com o Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (IPGO), pelo telefone (11) 3885-4333 falar com Mariana: mariana@ipgo.com.br

Comments

comments